Cidades do Interior: Campos dos Goytacazes.

Postado por Aldir Junior de Sales Gomes - Conceição de Macabu/RJ

A partir de hoje toda semana estarei postando a história, curiosidades e dados sobre as cidades do interior do estado do Rio de Janeiro. Como nesse sábado dia 28 de março foi aniversário da mair cidade do interior do estado para começar essa série hoje colocarei dados e a história sobre Campos dos Goytacazes.




Localizado no Norte do estado do Rio de Janeiro, com uma população de 431.839 habitantes (2008), é a maior cidade do interior fluminense e a décima maior do interior do Brasil. É também o município com a maior extensão territorial do estado, ocupando uma área pouco menor que a do Distrito Federal. Em Campos, destacam-se importantes universidades públicas e privadas.

O município de Campos dos Goytacazes abrange uma área total de 4.031,910 km². O principal modo de acesso é o rodoviário, pela BR 101.
Ao largo de suas costas, no Oceano Atlântico, há um forte pólo de exploração de petróleo e gás natural pela Petrobrás, na plataforma continental. A cidade é a maior produtora de petróleo do Brasil, além de concentrar a maior parte da indústria cerâmica fluminense. Das sete usinas de açucar e álcool do estado, seis estão em Campos. Várias indústrias fazem-se presentes; apenas em 2007 mais de cinco foram instaladas através do Fundecam (Fundo de Desenvolvimento de Campos).
As terras dos índios goitacás começaram a ser colonizadas pelos portugueses em 1627, com a chegada dos "Sete Capitães". Pertenceu à capitania de São Thomé e se tornou, cinqüenta anos depois, no dia 29 de maio, a Vila de São Salvador dos Campos. Foi elevada à categoria de Cidade em 28 de março de 1835.
Importantes fatos históricos se deram em Campos dos Goitacazes, entre eles está a partida dos primeiros voluntários para a Guerra do Paraguai, em 28 de janeiro do 1865, pelo vapor "Ceres". Outro momento importante foi o movimento do obolicismo, que teve seu ponto alto em 17 de julho de 1881, com a fundação da Sociedade Campista Emancipadora, que propagava a luta pela emancipação dos negros. O jornalista Luís Carlos de Lacerda e José Carlos do Patrocínio, cognominado de o "Tigre da Abolição" foram os maiores expoentes da causa. Porém, foi a última cidade brasileira a aderir a abolição da escravidão. As visitas do imperador Dom Pedro II e a luta republicana foram outros marcos da história de Campos.
O surgimento em 1652 da agroindústria açucareira, com a instalação do primeiro engenho em Campos, hoje menos promissor, dava início ao progresso da região. O petróleo foi oficialmente descoberto no Farol de São Tomé, reativando o desenvolvimento da região.
Possui os 14 distritos: Campos de Goitacazes, Dores de Macabu, Ibitioca, Morangaba, Morro do Côco, Mussurepe, Santa Maria, Santo Amaro de Campos, Santo Eduardo, São Sebastião de Campos, Serrinha, Tocos, Travessão e Vila Nova de Campos. O antigo distrito de Guarus (antes Guarulhos) foi anexado ao de Campos dos Goitacazes em 1967, é deste distrito a origem do título de Barão de Guarulhos.
Criada ao longo de milênios pelo generoso rio Paraíba, terra de aluvião, a planície goitacás encanta com a sua fauna e flora riquíssima e diversificada, vastidão de verdes de todas as tonalidades, varrida pelo vento nordeste. Os campos dos goytacazes se estendem até o oceano Atlântico, ponto inicial da colonização. Como atrativos naturais,se destacam: Lagoa de Cima, Região do Imbé, Região da Bela Joana, Região das Serras (Pico São Mateus, Pedra Lisa [pico de 726 metros] e Pedra do Baú), Rio Preto (região norte), Lagoa do Campelo, Lagoa Limpa, Lagoa Feia ( a maior do estado do Rio de Janeiro e a segunda maior do Brasil), Farol de São Tomé, diversas e lindas praias, se destacando a do Farol da Barra, ou simplesmente "Praia do Farol", entre muitos outros atrativos naturais que Campos oferece.
A cerâmica, o couro, a palha e a madeira são os materiais de destaque em seu artesanato. Na culinária, além da cachaça e da goiabada cascão, o suspiro e o chuvisco são famosos. Havendo grande tradição cultural e política na região da chamada Baixada Campista. Vale destacar também a fundação da primeira sala de cinema de Campos construida pelo Sr. Alamir, conhecida como Cine São José, sendo o prédio trazido da Europa pedra por pedra e reconstruído na cidade, e tendo como primeira exibição o filme Marcelino Pão e Vinho. Alem disso, temos: - Palácio da Cultura, que abriga a Biblioteca Pública Municipal, localizado na Rua Alvarenga Pinto, Pelinca. - Museu de Campos dos Goytacazes (encontra-se em reforma), localizado na Praça São Salvador, Centro. - Museu Olavo Cardoso, localizado na Avenida 7 de Setembro, Centro. - Casa de Cultura Villa Maria, localizada na Praça do Liceu.
A cidade é um importante pólo comercial e financeiro que abrage o Norte/Noroeste Fluminense e o Sul do ES. No Centro da cidade há um forte e diversificado comércio popular. Na Rua João Pessoa está a maior concentração de lojas de roupas populares. No bairro da Pelinca, na avenida de mesmo nome, podemos encontrar o segundo centro comercial e financeiro da cidade, onde estão as lojas concentram-se as lojas mais renomadas. Na região também está localizado o Shopping Avenida 28.
Em 1883, D. Pedro II inaugurou na cidade o primeiro serviço público municipal de iluminação, tornando Campos dos Goytacazes a primeira cidade do Brasil e da América Latina a receber iluminação pública elétrica, através de uma termelétrica a vapor acionadora de três dínamos com potência de 52 KW, fornecendo energia para 39 lâmpadas de 2000 velas cada.

Posted by Aldir Junior de Sales Gomes on 3/29/2009 12:34:00 PM. Filed under , , , . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0
 

Inscreva-se em nossa newsletter

2010 BlogNews Magazine. All Rights Reserved. - Designed by SimplexDesign